Espaço reservado pros meus momentos pseudo-intelectuais.

sábado, 22 de agosto de 2009

7 dias...


As vezes fico pensando...

Existem amadores que treinam quase o mesmo que atletas profissionais, levam tão a sério quanto e são tão competitivos ou bons quanto. As dificuldades, todos passam... sejam financeiras, sociais, ''metabólicas'' e afins. Um ciclo de treino, seja no ambito menor, para uma prova, ou o ciclo de treino da vida, exige a cada dia que passa que matemos um leão, como se cada dia que se passe seja um dia vencido, na vontade de que o outro dia chegue logo.
Vc passa anos treinando as mesmas coisas nos mesmos dias e nos mesmos horários, quase que num piloto automático universal, e vive experiências das mais diversas ordens. Vc acaba vendo de tudo, competindo nas mais diversas distancias e nos mais diversos tipos de prova, e acaba sentindo prazer (ou dor...) em todas elas. O círculo de amigos se estreita para o esporte, as pessoas tem a imagem distorcida que tu és uma verdadeira máquina de gerar força e vc nunca mais tem a rotina de uma pessoa normal...
Em todos esses anos, vc corre provas e provas... As vezes compete cansado dentro de uma semana forte de treino, entrando a propria competição como um treino forte, e já é tão natural a semana de uma competição que a ansiedade nem se manifesta tanto e vc trata aquele dia como só mais um dia de treino...

Mas, existem competições que vc espera o ano inteiro... Que por mais que o triathlon faça parte do teu corpo e do teu dia, e que treinar e competir já seja tão costumeiro como acordar e escovar os dentes, quando ela vem chegando perto, até o mais gigante se estremece. Stephen Kanitz já disse num de seus gloriosos artigos pra Veja sobre o poder da validação, e que o ser humano por si só sente a necessidade de ser validado por algo ou por alguem. Ter a sua dedicação ou qualquer outra coisa que seja reconhecidas... Ainda nesse artigo, ele diz que o maior problema da humanidade é a insegurança. Todos, simplesmente todos, são inseguros em algum nível. Alguns mais e outros menos...
Na hora que li essa matéria, imaginei a linha de largada de uma prova... quando muitas vezes vc pensa se treinou o suficiente, se o cara ao lado está mais treinado ou qqr coisa que seja.

A minha validação, ou seja, o meu reconhecimento de dever cumprido sempre será simplesmente fazer força a cada segundo que se passar. Nesse caso, lembro das palavras de nosso ilustre Bernardinho, no livro Cartas a Um Jovem Atleta, onde fala da experiencia de um jogador que não costumava olhar o placar durante os jogos e tratava cada ponto do jogo como se fosse match point. GLORIOSO.
Por mais que vc conheça seus adversários, saiba quais são os seus pontos fracos e fortes, acredite no que voce treinou. Pense em voce e nao no teu adversario.
Pra mim, terminar uma prova sentindo que dei tudo, dei o máximo, nao podia fazer mais força que isso, saí de cabeça erguida.

Pódios? Vitórias? Tempos? Recordes pessoais?

Isso só acontece com quem faz força!


VAMO QUE VAMO!!!

Um comentário:

::TC Projeto Triathlon (Tuco):: disse...

Bah, que momento filosófico amigo... è isso mesmo!!! Quem não dá uma tremida de vez em quando?? Sangue, suor e lágrimas rumo ao sucesso!! Abração Luquinhas!!